O Tabú do dinheiro


O tabú do dinheiro


Quando alguém fala de dinheiro em público é como se ficasse nu, assim de repente.


– Se te perguntarem “quanto medes?” e tiveres uma boa altura, dizes quanto medes e está tudo ok.


– Se te perguntarem: “quanto pesas?” e achares que tens um bom peso, dizes quanto pesas e está ok.


– Se te perguntarem “onde moras?” e morares num local agradável, dizes onde moras e estás ok.

– Se te perguntarem “qual o teu curso?” e tiveres um dos bons, dizes sem qualquer problema.

– Se te perguntarem “onde trabalhas?” e tiveres um emprego bom falas até com algum entusiasmo.

– Se te perguntarem “que carro tens?” e o teu carro for um bom carro, falas dele até com orgulho.

mas….

– Se te perguntarem “quanto ganhas?” não importa se ganhas muito ou pouco, até podes ganhar muito bem, mas parece-te mal que te façam essa pergunta.

– Se te perguntarem: “quanto dinheiro tens na conta bancária?” Ui! piorou.

Isto é verdade para quem tem dinheiro e para quem não o tem. Mas o engraçado é que é mais fácil alguém sem dinheiro falar das suas dificuldades financeiras do que alguém com dinheiro falar dos seus ganhos.

Se ouvires alguém dizer “mal ganho para sustentar a família” está ok, estamos solidários, parece bem. Independentemente do tipo de pessoa que for.

Se ouvires alguém dizer “ganho mil euros por dia” é um escândalo! independentemente do tipo de pessoa que for.

Porque será? Não seria muito mais interessante falarmos do dinheiro abertamente quando quiséssemos, sem ninguém ser julgado bem ou mal por ganhar ou deixar de ganhar fosse quanto fosse?

Não seria muito mais interessante perguntar ao “milionário” o que ele faz para ganhar tanto dinheiro e imitá-lo, se possível, em vez de dizer mal dele?

A verdade é que o dinheiro é uma forma de energia poderosa que muito poucas pessoas aprenderam a controlar e mesmo os que o desprezam (e principalmente esses) vivem sob a sua influência.

Não seria tão interessante que pudéssemos ser livres em relação ao dinheiro? Que não fosse nem ele, nem a falta dele, a comandar as nossas vidas?

Acho que o máximo da subversão social é ser livre. Ter o dinheiro necessário para SER TER e FAZER tudo o que for importante para nós e não ter de pensar nele.

Será isto tão difícil? Acho que não.

A maior limitação está no Tabú do Dinheiro. Não se pode falar dele, não se pode ter muito, não se pode ganhar muito, não se pode… ufff.!

Cansei-me de ouvir dizer “não se pode”, decidi que podia e fiz.
 

Author: Isabel Negrao

Mãe de família, Artista plástica, Professora, Blogger, Terapeuta. Adoro o que faço . Foco: desenvolvimento pessoal, autoconsciência, vida plena e abundante. Meus pontos fortes: conteúdo, comunicação. Paixão: ajudar pessoas a resolver problemas. Segue-me ou torna-te meu amigo no Facebook. (Thank you for reading my posts! If you would like to connect, reach out to me on Facebook).

Valorizamos os teus comentários

%d bloggers like this: